Gestão de tempo em sala de aula: descubra 9 segredos!

Independentemente da metodologia que você usa, do jeito que você ensina, do tipo de alunos que compõem sua sala de aula, do nível de educação ou do assunto que você ensina, a gestão de tempo é essencial para alcançar uma aprendizagem eficácia e atingir os objetivos que você queira.

Às vezes, a velocidade do dia-a-dia na sala de aula e as exigências do currículo não deixam espaço para reflexão ou preparação, o que, em última instância, piora os resultados e retarda seu progresso e de seus alunos. Confira 9 dicas para gerenciar o seu tempo em sala de aula.

  1. Estabeleça metas e horários. Assim como você recomenda aos seus alunos quando você ensina técnicas de estudo, você também deve desenhar seu próprio plano de trabalho na sala de aula e sua programação, evitando limitar-se para avançar no programa e assuntos que você transmite o mais rápido possível. Para fazer isso, selecione quais são os objetivos a curto, médio e longo prazo e estabelecer como você irá alcançá-los. Desta forma, você sempre será claro o que deseja alcançar e, consequentemente, você poderá desenvolver as estratégias necessárias para fazer isso e conseguir uma melhor gestão de tempo.
  2. Decida primeiro as metodologias e as formas de trabalhar. A organização do tempo na aula dependerá não apenas do que você deseja alcançar, mas também da maneira como você trabalha. O trabalho por projetos ou a aprendizagem cooperativa, ou se você desenvolver uma explicação magistral tradicional. Tenha a metodologia sempre presente para agendar os horários na sala de aula e aproveite ao máximo.
  3. Dê prioridade ao mais importante. É o conselho mais simples, mas às vezes nos esquecemos disso. O mais importante é o que seus alunos têm para dominar um assunto, a atividade que você deseja fazer a todo custo para que eles aprendam ativamente e praticamente ou a habilidade que você deseja trabalhar com seus alunos. Você não precisa cobrir todas as partes da agenda ou fazê-lo como está no livro ou materiais.
  4. Resolva dúvidas e erros o mais rápido possível. Entre suas prioridades essenciais na sala de aula deve ser sempre evitar que seus alunos tenham dúvidas ou fortaleçam os mal-entendidos. Então, defina um tempo para resolver o que seus alunos não entenderam ou não conseguiram resolver por si mesmos. Isso irá ensinar-lhes como aprender e também irá detectar se há problemas de compreensão geral ou dificuldades em alguns alunos.
  5. Envolva seus alunos na organização da classe e na gestão de tempo. O envolvimento dos alunos no plano de aula é importante para que eles se desenvolvam de forma mais suave e de acordo com seus objetivos. Desta forma, você estará mostrando-lhes as vantagens de uma boa organização.
  6. Permite alguma flexibilidade. O cronograma e a gestão de tempo são uma referência importante para o professor e é fundamental que eles existam. Você pode redistribuir o tempo de acordo com as necessidades de seus alunos em um determinado momento. Ouça seus alunos, preste atenção às suas reações e sua maneira de enfrentar a lição ou atividades e redirecione a classe de acordo.
  7. Ter uma programação e listar todos os seus pensamentos, conversas e atividades ajuda na gestão de tempo. Isso o ajudará a saber o quanto você pode fazer durante o dia e o que faz com o seu tempo.
  8. Qualquer atividade ou conversa que seja importante para seu sucesso deve ter uma certa quantidade de tempo alocada. As listas de tarefas exigem mais tempo e mais quando não podem ser concluídas. Planeje seus compromissos e crie blocos de tempo para os pensamentos, conversas e ações mais importantes.
  9. Passe pelo menos 50% do tempo com pensamentos, atividades e conversas que lhe dão mais resultados.

Quais as estratégias que você implementou para melhorar a organização do tempo de aula? Elogie-se e compartilhe-os conosco.

Leia Também!

4 blogs e sites de educação infantil que você precisa acompanhar

Aprenda aqui como estimular a criatividade infantil

Como ajudar o filho a fazer amigos? Descubra aqui!

Por que ensinar a criança a “pensar fora da caixa”?